Navbar
25 de abril, 2017 | Autor(a): Maíra Leni

Veja os principais serviços que não funcionarão na greve de sexta-feira

.Fotolia

Diversos serviços públicos e privados serão afetados em Belo Horizonte pela  greve do dia 28 de abril. Confira os principais serviços que não irão funcionar.

Transporte

O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Belo Horizonte e Região Metropolitana (STTR) anunciou que os trabalhadores rodoviários da capital e região metropolitana vão parar. Ainda não há uma definição quanto à paralisação dos serviços do metrô. Mas a previsão é de que os trabalhadores  devem aderir à greve geral.

Educação

Com a paralisação dos transportes públicos, tanto escolas públicas quanto particulares não deverão ter aulas na sexta, de acordo com o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE).

Bancos

Segundo o Sindicato dos Bancários de BH e Região, diversas agências não abrirão também. A categoria decidiu pela adesão à greve geral em assembleia geral realizada no dia 18 de abril.

Saúde

A exigência legal impede a paralisação total de serviços de saúde. Mas, algumas unidades da capital deverão ter o atendimento afetado.  De acordo com o Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde), unidades da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig), composta por 21 unidades incluindo capital e interior, funcionarão somente com a escala mínima na sexta.

As principais unidades de saúde que serão afetadas são: Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, o Hospital Júlia Kubistchek, o Galba Veloso (tanto psiquiátrico como ortopédico), o Centro Geral de Pediatria (CGP ou Hospital Infantil João Paulo II), o Hospital Odete Valadares e o Hospital Alberto Cavalcanti.

Os trabalhadores da saúde municipal também devem aderir a greve geral. De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de BH (Sindibel) ainda não tem como prever quais unidades irão aderir.

Segurança

O Sindicato dos Auxiliares, Assistentes e Analistas do Sistema Prisional e Socioeducativo de Minas (Sindasep-MG) anunciou adesão ao dia de paralisação. Assim como nos hospitais, uma escala mínima deverá ser cumprida pela categoria.

Copasa

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgotos do Estado de Minas Gerais (Sindágua MG), os trabalhadores da Copasa terão a opção de aderir ou não à greve. Como uma escala mínima é obrigatória na empresa, o abastecimento de água não deverá ser prejudicado.

Comentários