Navbar
25 de abril, 2017 | Autor(a): Guilherme Aroeira

STF decide que goleiro Bruno deve voltar para prisão

Nesta terça-feira (25), a 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal revogou a liminar dada ao goleiro Bruno Fernandes pelo ministro Marco Aurélio que concedia ao goleiro o direito de esperar em liberdade os julgamentos dos seus recursos. Por três votos à favor, e um voto contra (o ministro Luís Roberto Barroso ainda não havia votado), a decisão ainda negou o mérito do pedido de habeas corpus.

Durante o período de 60 dias em liberdade provisória, o goleiro disputou cinco partidas, com duas vitórias, sofreu quatro gols, recebeu um cartão amarelo. Agora, Bruno será encaminhado para um centro de reclusão de Minas Gerais.  Ainda não se sabe se o goleiro voltará para a Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac), em Santa Luzia, onde cumpria sua pena desde setembro de 2015. A decisão ficará a cargo da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds).

Com o pedido negado, o goleiro tem suas chances de liberdade esgotadas até que o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) julgue a apelação contra a condenação de 22 anos e 3 meses. Não há previsão para que esse julgamento aconteça no Tribunal mineiro.

Comentários