2 de maio, 2016 | Autor(a): Graziella Gianinni

Quando esquecemos de esperar pelo bem…

photo-1452697620382-f6543ead73b5

Acordamos diariamente com objetivos traçados para o dia que chega. Sabemos como vai começar e esperamos que termine do jeito que planejamos.

Ainda adormecidos levantamos da cama, somos empurrados para debaixo do chuveiro com uma força moral que nos possui. Lá automaticamente tomamos as providências que são necessárias.

Dali, o café para ajudar a dar aquela energia e correndo, pegamos uma fruta ou qualquer coisa para continuar o dia. Afinal o estômago ruge. Saímos com o tempo contado, depois de ter escolhido às pressas uma roupa qualquer.
Assim a vida segue e por fazermos sempre a mesma coisa, sabemos que nada vai acontecer. “Temos tudo sob controle” afirmamos inconscientemente.

Mas um dia qualquer somos surpreendidos com um trânsito mais intenso que o normal, com um acidente, até mesmo o fato de termos esquecido um documento importante em casa, nos obrigando a volta e atrasando todo o processo.

A história acima ilustra bem o nosso despreparo para imprevistos, em sermos surpreendidos. Mas o mais assustador é o quanto estamos despreparados para imprevistos do bem. Não esperamos sermos elogiados, ou ganharmos uma carona, uma oferta de um lugar no ônibus, de flores… Mas já saímos com todas as armas em punho quando ao contrário disso acontece. Vai falar que é mentira?!

Você já se questionou a respeito: De que forma você semeia suas surpresas? E como prefere tê-las?

Eu, particularmente, prefiro ser surpreendida para o bem. E digo ainda mais: tenho me surpreendido muito! Comece a olhar melhor para as coisas e perceba o copo “meio cheio”. “Meio vazia” está a sua visão para as coisas boas da vida.

Essa é a melhor hora para mudar. Que tal agora?

 

Comentários