17 de novembro, 2017 | Autor(a): Lucas Rocha

Patrimônio em risco

Cartão postal de BH, serra do Curral se deteriora aos poucos com incêndios e exploração indevida

Serra do Curral, beleza natural em perigo | Foto: adão de souza/flickr pbh |

Em grande parte dos locais que se está na cidade você a vê em toda sua grandiosidade, beleza e serenidade, mas nos últimos tempos a serra do Curral tem sido motivo de preocupação para moradores da região, ambientalistas e outros órgãos responsáveis.
Grande parte dessa preocupação se deve aos incêndios cada vez maiores que destroem a vegetação e a fauna do local. Morador da região, o engenheiro de 58 anos, Luiz Eugênio de Araújo, lembra com pesar da época de sua adolescência quando começou a assistir à degradação da serra devido à mineração. Atualmente ele tem como missão pessoal encontrar meios para prevenir e combater os incêndios que, frequentemente, acontecem no local. “Penso que uma serra dentro de uma grande cidade e com a importância que ela tem, chega a ser absurdo a população assistir sem fazer algo e admitir a existência de incêndios que se repetem todos os anos”, critica.

Osvaldo Lopes: batalha para embargar projeto que seria prejudicial | Foto: Divulgação CMBH |

Junto a outros órgãos e diferentes associações de moradores, Luiz tem participado de encontros com mineradoras entendendo melhor sobre sistemas de prevenção contra incêndios e feito um mapeamento de quem mora no entorno da serra para realizar um projeto de mobilização. “Um dos grandes incêndios que houve este ano foi apagado por causa da brigada de voluntários da região. É cada vez mais possível aglutinar forças e adquirir técnicas e tecnologias para proteger a serra. Toda mobilização por parte da sociedade é muito importante”, afirma o engenheiro.
Outro problema que vem tirando o sono do poder público em relação à serra do Curral está relacionado às obras de reforma e expansão do antigo instituto Hilton Rocha, agora sob o comando do grupo Oncomed. “O projeto de reforma do prédio que já existe seria o ideal, mas o que preocupa é a expansão com novas construções, como um grande estacionamento, que pode fragilizar ainda mais a barreira que existe ali, sendo que atrás temos um lago imenso resultado da exploração de minério. Se acontece uma trinca e a pressão daquele lago começa a crescer, podemos viver um desastre como o ocorrido em Mariana”, alerta o vereador Osvaldo Lopes (PHS), que hoje acompanha também a mobilização da associação de moradores do bairro Mangabeiras e movimentos da serra do Curral que trabalham para encontrar um argumento que embargue o projeto que foi aprovado pela gestão do prefeito Marcio Lacerda.

Comentários