Navbar
Tudo BH
28 de março, 2017 | Autor(a): Lucas Rocha

Matheus Nachtergaele

ator

Fred Magno/Agência i7

Na certidão, o ator Matheus Nachtergaele tem São Paulo como estado natal, mas no coração, Minas ganhou peso e carinho mais que especial. Tendo no currículo várias apresentações na capital e lembranças inesquecíveis sejam em sua casa em Tiradentes, a primeira que ele adquiriu na vida, ou nos eventos ligados ao teatro e ao cinema, o estado sempre o cativou.

Ele que habita o imaginário da cultura popular brasileira com personagens icônicos a exemplo de João Grilo, do filme O auto da compadecida, encerra temporada na segunda (27) com a peça Processo de conscerto do desejo, no Centro Cultural Banco do Brasil. Na montagem ele recita textos de sua mãe, Maria Cecília Nachtergaele, que suicidou em 1968, quando ele tinha apenas três meses. Além dos poemas, Matheus também canta canções que a mãe gostava, numa operação delicada de possessão e homenagem.

Sinal verde: À primeira vista

“Eu vim a BH pela primeira vez por amor, apaixonado. A cidade ficou marcada na memória, desde então, como um lugar onde amei e fui amado. Seus parques, as esquinas triangulares, as árvores, tudo me apaixonou e continua me apaixonando! Destaque para o Borboletário do Zoológico! É demais!”, relembra.

Sinal amarelo: Zelo pela paz

“Ainda sinto pelas ruas uma paz de cidade grande que ainda não se agigantou. Torço sempre pra que as cidades grandes mantenham sua humanidade. Tem loucura gostosa em BH”, pontua.

Sinal vermelho: Mais gentileza e amor

“O caos da cidade muito grande afeta demais nossa capacidade de ser gentil, de amar o outro. Os problemas de uma cidade que cresce demais atingem a todos, sempre. Sou por cidades grandes que se mantenham humanas. Espero que BH seja uma delas. Adoro o que ela tem de doce e moderno, e torço pra que siga arborizada. Amo árvores e flores!”, finaliza.

Comentários