Navbar
29 de abril, 2017 | Autor(a): Maíra Leni

Helinho Faria

Cidade aconchegante

Helinho Faria, um dos mais respeitados publicitários de Minas Gerais, é nascido e criado em Belo Horizonte. Helinho, filho de Hélio Faria, um dos pioneiros da indústria da comunicação no estado, conta um pouco da sua relação com a cidade: “Já morei fora durante um tempo, em Florianópolis. E, durante esse tempo, uma das coisas que sentia falta era esse aconchego que o povo belo- horizontino e mineiro tem”.
Além do tratamento, Helinho diz que outro diferencial da cidade é ser, ao mesmo tempo, uma cidade moderna, mas com regiões que mantêm um ar de tradicionalismo, como no interior.

Sinal verde: Gastronomia e boemia

“O que mais gosto em Belo Horizonte são os bares, como os de Santa Efigênia, Santa Tereza. A culinária daqui é única. E também o Edifício Maletta, que é uma cidade, praticamente. Bares, restaurantes, lojas, pessoas. É maravilhoso ir ao Maletta”, comenta.

Sinal amarelo: Limpeza e educação

“Uma das coisas que a cidade precisa rever é a questão da limpeza urbana. Em qualquer entrada da cidade ou pelas ruas mesmo, você vê muita sujeira. E a responsabilidade disso é um conjunto: tanto do cidadão, em não sujar a cidade, quanto do poder público, que deve ficar atento à limpeza, bem como conscientizar a população”, cobra.

Sinal vermelho: Trânsito: problema urgente

“Trânsito é um problema em qualquer grande cidade. Porém, em Belo Horizonte, falta uma melhor administração no trânsito, com maior iniciativa pública. Qualquer horário é desorganizado. Falta ter uma ação que possa estruturar o fluxo de veículos não só nos horários de pico, mas durante todo o dia”, destaca.

Comentários