17 de novembro, 2017 | Autor(a): Lucas Rocha

Época de ouro

Black Friday se consolida no país e aquece a economia para o setor varejista

Um dia destinado para comprar produtos que você deseja e/ou precisa com descontos que às vezes beiram o surreal de tão altos. Parece um sonho, mas há anos virou realidade graças à Black Friday. Criada nos Estados Unidos, a data acontece sempre um dia após o feriado americano de ação de graças, comemorado na quarta quinta-feira do mês de novembro e leva todo mundo aos grandes centros de compra ou em frente aos computadores para adquirir diversos tipos de itens. No Brasil, a Black Friday aconteceu pela primeira vez no ano de 2010 com foco exclusivo nos e-commerce até chegar aos dias atuais existindo promoções até para delivery de comida.
Para se ter ideia, a data já é considerada a terceira mais esperada pelo comércio para alavancar as vendas. Na capital mineira, uma Pesquisa da Fecomércio MG mostra que quase um terço (32,4%) dos belo-horizontinos pretende ir às compras para aproveitar as promoções sendo que a maioria (64%) planeja gastar valores superiores a R$ 500. “A cada ano, a expectativa de bons negócios é crescente, especialmente nos canais digitais. O sucesso está ligado ao fato de a data também ter se tornado uma excelente oportunidade para que as pessoas antecipem as compras de Natal, aproveitando melhores preços, enquanto as marcas podem intensificar as vendas e fortalecer sua presença no mercado”, explica o economista da federação, Guilherme Almeida.

BH shopping: estratégias de natal vinculadas à black friday | Foto: pedro vilela | agência i7 |

A psicóloga e terapeuta ayurveda, Xanda Fogaça, é uma dessas pessoas que estão na expectativa para a Black Friday. Prestes a abrir um restaurante em Caraíva, a ocasião será um ótimo momento para adquirir equipamentos e utensílios de cozinha com preço mais competitivo. “Já participo da Black Friday desde a época em que eu morava nos Estados Unidos porque lá o pessoal leva muito a sério chegando a dormir na fila de madrugada para ser o primeiro na loja. O Brasil incorporou bem a ideia e realmente consigo encontrar descontos incríveis. Como eu tenho memória ruim, sempre faço listas do que preciso comprar e ao longo do tempo vou pesquisando para depois ver qual preço é o melhor”, revela.
Pesquisar inclusive é uma das atitudes mais sensatas a se fazer durante a data. Infelizmente, muitos comerciantes se aproveitam do espírito do evento para “trapacear”. É o famoso desconto “metade do dobro do preço”. “O que essas pessoas precisam entender, que além de errado isso prejudica muito a credibilidade do negócio. A Black Friday no Brasil existe por uma demanda crescente dos clientes e eles mesmo estão pesquisando cada vez mais sobre o que comprar. Muitas das vezes é uma oportunidade que ele tem de adquirir um objeto de desejo que já ‘paquera’ há muito tempo. Nós abraçamos a data e sempre aconselhamos durante nossos treinamentos para lojistas que é preciso dar descontos reais. Se não é possível dar desconto na loja toda, então que seja em dois a três produtos somente”, afirma Renato Tavares, gerente de marketing do BH Shopping, que neste ano aproveitará a ocasião para aliar as ações de sorteio para o natal à Black Friday, aumentando as chances dos seus clientes ganharem o prêmio.

We Basic investe pesado na data e espera aumento de 100% no público da loja | Foto: pedro vilela/agência i7 |

De acordo com a pesquisa divulgada pela Fecomércio MG, 35% dos empresários belo-horizontinos devem aderir à data, sendo que essa porcentagem ainda deve crescer devido ao número de empresas que ainda não tinham decidido as estratégias para a edição deste ano.
Este não é o caso de Hans Saraiva, sócio proprietário da marca de calçados e acessórios masculinos We Basic, ao lado do empresário Miguel Andreola. Tendo inaugurado a primeira unidade neste ano e estando prestes a inaugurar a segunda às vésperas da Black Friday, os dois se preparam para ver o público convencional da loja ser aumentado em 100% durante a Black Week, termo utilizado para a extensão do dia durante toda a semana. “Somos varejistas há muito tempo e sabemos da importância da época para o setor. Neste ano vamos investir pesado, tanto com descontos que nunca demos hoje como também em mídia para as ações serem de conhecimento de todo o público. Embora os produtos eletrônicos sejam muito visados, o vestuário vem ganhando cada vez mais força também na hora das compras”, conta Hans Saraiva.

Comentários