5 de outubro, 2017 | Autor(a): Fernando Torres

Águas de Minas

Fiemg promove evento para debater políticas de gestão e conservação dos recursos hídricos

divulgação

Às vésperas do 8º Fórum Mundial das Águas, em Brasília, a Fiemg quer chamar a atenção para a gestão hídrica no estado. Para isso, promove, nesta sexta e sábado, 6 e 7, o evento “Minas no Caminho das Águas”, com uma série de debates e atividades sobre a importância de diretrizes públicas e do engajamento da sociedade para a preservação dos recursos naturais, em parceria com a prefeitura de BH e com o governo de Minas.

Rio Paraná – divulgação

O evento se divide em duas etapas. A primeira delas, amanhã, 6, reúne autoridades e especialistas para o seminário “O estado das águas em Minas Gerais”, na sede da Fiemg. “De importância estratégica, Minas possui algumas das maiores bacias hidrográficas do Brasil, como a Paranaíba e a do Rio Grande, que formam o rio Paraná; e os rios São Francisco, Doce e Jequitinhonha”, aponta Wagner Soares, gerente de Meio Ambiente do Sistema Fiemg. À frente do encontro, ele contrapõe a riqueza natural do estado às falhas, a exemplo do esgotamento sanitário – apenas 71% dos 853 municípios mineiros realizam o tratamento convencional, segundo a Fundação João Pinheiro. “O aumento da área urbana precisa vir acompanhado da melhora e ampliação do serviço de saneamento”, assinala.

A programação do seminário também vai incluir debates sobre desenvolvimento sustentável e participação do setor produtivo na gestão dos recursos hídricos. “As grandes empresas, e até mesmo o agronegócio, já estão se preparando para lidar estrategicamente com a água em seu processo de produção. Em compensação, os pequenos e médios empresários ainda precisam entender melhor sua importância”, diferencia Soares. Para ele, o rompimento da barragem da Samarco, que contaminou a bacia do Rio Doce, foi um despertar para a questão na mineração. “O acidente trouxe para a sociedade um indicativo de que o setor precisa ter mais cuidado com os rios.”

Já no sábado, 7, o fluxo deságua na praça da Liberdade, com foco no público geral. A programação, das 9h às 17h, terá atividades lúdicas e atrações culturais e musicais, visando ampliar a conscientização da importância da preservação em escala individual. Um dos destaques é a instalação Água – Qualidade de vida, que simula alguns ambientes, como o deserto de temperatura elevada e a clareira de uma floresta tropical. Diversas entidades, como Cemig e Copasa, também irão armar estandes sobre o tema. “A Faemg vai mostrar a importância da água na produção de alimentos, enquanto o Minas Tênis revela o que as instituições esportivas podem fazer para economizar água na geração de energia”, adianta Soares. O Sesi e o Senai, por sua vez, vão promover uma competição de robótica, tendo o precioso líquido como tema.

Comentários