Navbar
6 de julho, 2016 | Autor(a): Dennyse Bacelete

Afinado: 10 pratos de comida que ficaram famosos no cinema

Cinema e gastronomia (foto divulgação)

Cinema e gastronomia (foto divulgação)

Não é de hoje que a estreita relação comida-cinema é uma combinação que sempre agrada. São muitos os filmes tiveram ingredientes ou receitas costurando o enredo de forma importante. Alguns chegaram a imortalizar cenas ou convertê-las em foco de interesse especial do público após aparecerem nos filmes. Iguarias esquecidas voltaram a ser moda depois de surgirem na telona, como foi o caso dos macarons do filme Maria Antonieta.

Vejamos agora 10 exemplos de comidas que, depois de passarem pelas telas do cinema, se tornaram alvo de curiosidade dos comensais e foram protagonizar nas cozinhas do mundo todo.

 

CANNOLI MORTAL, “PODEROSO CHEFÃO”

O maravilhoso doce italiano é citado em dois dos filmes da trilogia. No primeiro filme, há a famosa cena do assassinato do genro traidor de Don Corleone. E é justamente após a execução do rapaz, que um mafioso diz para o outro a célebre frase “Deixe a arma e pegue os cannoli”. No mínimo macabro.

Já no terceiro filme, a irmã de Michel Corleone, que havia se tornado o chef da famíglia, oferece a seu padrinho traidor uma travessa de cannoli recheados, impregnados de veneno. O padrinho glutão se delicia e morre envenenado.

 

AS LAGOSTAS DE “NOIVO NEURÓTICO, NOIVA NERVOSA”

Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (foto divulgação)

Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (foto divulgação)

Apesar do filme não ter mostrado nenhum um prato propriamente dito, a antológica cena das lagostas rendeu, não só um dos melhores momentos do clássico de Allen, mas também muita curiosidade quanto ao preparo do crustáceo. Isso porque o casal corre atrás de várias da espécie que andam soltas pela cozinha, na tentativa de capturá-las e jogá-las vivas num caldeirão com água fervente. Se da parte deles sobra vontade de comer lagosta, sobra pena de aplicar o método de abate do animalzinho. É claro que seu consumo aumentou e muito por ocasião da exibição do filme, porque todo mundo queria cozinhar uma lagosta.

 

 

O ESPAGUETE COM ALMODENGAS, “A DAMA E O VAGABUNDO”

Outro caso de amor do público. Mas tem como não amar a cena linda e antológica em que o casal de cãezinhos se beija após sugar um mesmo fio de espaguete? Cena esta que já foi repetida por inúmeros outros filmes e outros tipos de homenagem. Depois disso, será que existe restaurante italiano com coragem de não colocar o prato em seu menu?

 

O SALMÃO GRELHADO COM SALADA VERDE DE “A VIDA É BELA”

Todo mundo morreu de tanto rir do jeito espirituoso de Guido convencer os clientes a comerem o único prato de comida que restava na cozinha do restaurante em que trabalhava? O salmão grelhado com molho de alcaparras e limão, acompanhado de salada de alfaces romanas verdes é realmente delicioso, mas tornou-se quase uma marca registrada de “A Vida É Bela” um drama que conseguiu arrancar muitas gargalhadas do público.

 

BOEUF BOURGUIGNON DE “JULIE&JULIA”

O prato que mais deu trabalho para a protagonista Julie Powell e chegou a causar uma quase separação dela e o marido. Isso devido ao número de horas que o prato exige de preparo. Mas quem já comeu um boeuf bourguignon sabe que cada segundo dedicado à ele compensa, pois o sabor é inigualável. E depois do filme, muitas e muitas pessoas criaram ânimo para repetir a receita em casa. Os que não tiveram ânimo, foram correndo ao primeiro restaurante francês para comer.

 

Ratoutuille (foto divulgação)

Ratoutuille (foto divulgação)

O RATATOUILLE DO FILME “RATATOUILLE”

De nome esquisito para a maioria dos países, o prato francês, juntamente com o mini chef Rémy, encantaram o mundo todo. Até o antipático Ego , crítico gastronômico da história, ficou encantado. Bom, depois do filme, muitos restaurantes passaram a reservar um espaço nobre de seus cardápios para o prato, que na sua origem é comida de camponês.

 

CREME BRULÈE, DO FILME “O FABULOSO DESTINO DE AMELIE POLAIN”

Talvez a mais francesa das sobremesas, o crème brulée é a fixação da personagem Amélie Poulain. Em sua narrativa, Amélie declara um dos seus grandes prazeres diante do doce é, além do sabor é claro, poder quebrar a casquinha de caramelo que fica na superfície do doce com as costas de uma colher. Aliás, quem não ama fazer isso, não é verdade?

 

LASANHA A BOLOGNESA DE GARFILD

O gato mais preguiçoso e gorducho do cinema, fez sua fama e sua pancinha comendo muita, mas muuuuita lasanha mesmo. A receita italiana é o prato preferido, não só desse encrenqueiro, como de muita gente por aí. Ver Garfild na telona se empanturrando de massa com presunto e muçarela e se lambuzando de molho de à bolonhesa, causa fome em qualquer um. Ainda bem que este não é um prato assim tão complicado de se fazer ou de se encontrar nos restaurantes! Hummmm…

 

BIG KAHUNA BURGER DE “PULP FICTION”

Um marco na história do cinema, o filme de Tarantino não só colocou seu nome na lista dos primeiros diretores mundiais do cinema, como também virou tendência e conceito, tanto de moda, quanto de música e até gastronomia. Este é o caso do Big Kahuna Burger, um sanduiche havaiano bem diferente. Depois do filme, quase toda hamburgueria precisou incluí-lo na receita.

 

CODORNAS DE A FESTA DE BABETTE

Codorna rechada de Festa de Babette (foto divulgação)

Codorna rechada de Festa de Babette (foto divulgação)

E eu não poderia encerrar essa matéria sem citar o filme mais emblemático na dobradinha cinema e gastronomia. Quem não se encantou e precisou de babador enquanto assistia ao filme, fosse no cinema, ou em casa? E este é um filme cujo enredo gira em volta da gastronomia. A história conta a trajetória de Babette, uma empregada francesa vivendo na Dinamarca que, depois de ganhar na loteria, ao invés de ir embora para sua terra natal, resolve fazer um jantar inesquecível para os seus amigos. Um dos pratos mais inusitados do filme, sem dúvida alguma, é a codorna recheada com foie gras e trufas. Uh-la-la!!!!

 

 

Comentários